OCB-AP e Aprosoja-AP articulam agenda em Maringá para promover o desenvolvimento do Amapá

Maringá, no Paraná, foi o destino escolhido pelo Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Amapá (OCB-AP), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) e a Associação de Produtores de Soja do Amapá (Aprosoja) para levar as principais instituições de fomento do Amapá e autoridades para atrair investimentos e conhecer um modelo de desenvolvimento baseado no fortalecimento do setor produtivo agrícola.

A comitiva foi integrada pelo governador do Estado, Waldez Góes; o senador da República, Randolfe Rodrigues; e representantes da Federação do Comércio do Amapá (Fecomércio-AP), Federação de Micro e Pequenas Empresas (Femicro), do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA), Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob), do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Secretaria de Ciência e Tecnologia (Setec), Associação dos Criadores do Amapá (ACRIAP), entre outros.

Agenda positiva

A agenda de compromissos na cidade paranaense iniciou na quarta-feira, 20, de julho, com a visita a Cooperativa Agroindustrial do Paraná (Cocamar), seguida da agenda interativa com os produtores de Doutor Camargo, que ocorreu na Unidade de Atendimento ao Produtor, finalizando com a visita no Parque Industrial da Cocamar.

“Diziam que nossas terras eram inférteis e provamos o contrário. Investimos em tecnologia e hoje temos uma das maiores produções do país”, explicou o presidente da Cooperativa Agroindustrial de Maringá (Cocamar), Luiz Lourenço.

Por isso, o sucesso da região de Maringá, se exemplifica, pela forte presença do cooperativismo. A Cocamar é uma das maiores cooperativas agrícolas do Brasil. O local reúne 13 mil cooperados que atuam na produção de soja, milho, trigo, café e laranja. Foram responsáveis pelo faturamento de R$3,3 bilhões em 2015; com expectativa de R$3,8 bilhões para 2016, e uma produção de 2,8 milhões de toneladas de grãos. Resultado de um modelo de colonização com cerca de 70 anos de existência, com estrutura fundiária composta por pequenas e médias propriedades rurais.

Para o presidente da OCB/AP, Gilcimar Pureza, ter uma cooperativa de grande porte, como exemplo, é poder trilhar caminhos sólidos no Amapá, afinal, o modelo se adequa muito a realidade do Estado.

“O Amapá projeta seu modelo de desenvolvimento baseado no fortalecimento do setor produtivo, agrícola, industrial e portuário. Por isso, é crucial conhecer exemplos bem sucedidos de outras regiões brasileiras. Levar desenvolvimento ao Amapá é o nosso maior objetivo”, explicou Gilcimar Pureza.

Na quinta-feira, 21, de julho, amapaenses e paranaenses tiveram a oportunidade de realizar uma paralelo entre os dois estados (Amapá e Paraná). No auditório da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM), o vice-presidente da Aprosoja-AP, Celso dos Santos, iniciou os trabalhos apresentando o potencial da agricultura de grãos no Amapá.

“Temos terras, portos e instrumentos eficazes, e agora, contamos com um modelo que se encaixa muito bem a realidade do Amapá. Com a união entre poder público, instituições empresarias, de fomento e o cooperativismo, temos certeza que os resultados serão prósperos”, destacou Celso dos Santos.

Integrado ao momento, o governador do Amapá, Waldez Góes, apresentou as oportunidades de negócios no Estado. “Temos muitos incentivos fiscais (federais, estaduais, financeiros e locacionais) que o estado oferece. O Amapá vive hoje um processo de transferência de terras da união para o estado; integrado a Zona Franca Verde e seus benefícios; além do Zoneamento Socioambiental do Cerrado; além das potencialidades que porto de Santana, oferecerá nos próximos meses com a exportação de grãos. Todos esses fatores aliados a força do cooperativismo teremos um cenário perfeito para concretizar passos firmes rumo ao desenvolvimento”, compartilhou Waldez Góes.

Na ocasião o prefeito de Maringá, Carlos Roberto Pupim; e o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá, José Carlos Valêncio, exaltaram a força do cooperativismo no processo de desenvolvimento, e se colocaram à disposição para contribuir com o Amapá.

“Essa relação será muito próspera. Estamos de braços abertos para ajudar o Amapá neste processo rumo ao desenvolvimento. Temos muito conhecimento no setor agrícola, que pode sim, ser aplicado no Amapá”, afirmou o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá, José Carlos Valêncio.

Após a manhã de troca de experiência e conhecimento, a agenda da comitiva, encerrou com as visitas na Universidade Estadual de Maringá (UEM) e na Estação de Piscicultura do Distrito de Floriano.

“O Amapá leva na bagagem a certeza de que temos interesses iguais e podemos sim, crescer juntos”, avaliou o presidente da OCB/AP, Gilcimar Pureza.

Assessoria de Comunicação da OCB/AP

Contato: 98124-9681

About Lílian Guimarães

Assessoria de Comunicação OCB/AP Contato: 98124-9681

Comments are closed