ADESÃO AO COOPERATIVISMO AUMENTA EM MOMENTO DE CRISE ECONÔMICA

O estado de Goiás é um exemplo de que, em tempos de crise econômica, a cooperação e a união de esforços são as melhores estratégias para diminuir prejuízo e ampliar o aproveitamento das oportunidades que surgem no mercado.

De acordo com um levantamento realizado pelo Sistema OCB/GO e que faz parte do Censo do Cooperativismo Goiano 2017, que o acaba de ser lançado, o número de pessoas que ingressou no movimento cooperativista em 2016 aumentou 10%, ultrapassando a casa dos 173 mil cooperados.

CONFIANÇA

O presidente do Sistema OCB/GO, Joaquim Guilherme Barbosa de Souza, acredita que o cooperativismo possui um diferencial que o faz ser uma opção mais segura em momentos de crise econômica. “Nosso capital é a nossa gente. E esse capital se aglutina em volta de princípios e valores universais, capazes de gerar confiança e desenvolvimento. E é essa confiança que gera números tão expressivos como os apresentados neste Censo do Cooperativismo Goiano 2017”, afirma.

EMPREGABILIDADE

A capacidade de suportar momentos de crise do cooperativismo é uma das razões para que o modelo de negócio cresça. Em 2016, diante do aumento das demissões em várias empresas do país, as cooperativas foram na contramão.

De acordo com o Censo do Cooperativismo Goiano 2017, as cooperativas goianas não apenas mantiveram o número de empregados, como também abriram novas vagas. Ao final de 2016, a soma de postos de trabalho formais gerados pelo cooperativismo alcançava 10.230 pessoas.

O aumento nos postos de trabalho é um reflexo do crescimento das receitas do sistema cooperativista goiano que, no ano passado, foi de 23%, chegando a R$ 9,79 bilhões. Além disso, foi registrado também aumento do patrimônio líquido das cooperativas em 10%, totalizando R$ 3,93 bilhões. (Com informações do Sistema OCB/GO)

Fonte: http://www.somoscooperativismo.coop.br

About Lílian Guimarães

Assessoria de Comunicação OCB/AP Contato: 98124-9681

Comments are closed